Um pouco mais sobre os Chakras

Tudo que foi abordado sobre os chakras e os corpos energéticos configura-se apenas uma tentativa de se fazer um esboço da “anatomia e fisiologia da alma”, objetivando compreender o nível de atuação da terapia de vidas passadas e a associação dos chakras com as lições da alma e com as doenças do corpo físico.

Muitos cientistas estão pesquisando estes níveis de frequências mais elevadas com tecnologia bastante sofisticada e, no futuro, estas pesquisas possibilitarão uma visão multidimensional do homem com mais detalhes e maior aprofundamento.


Para
conhecimento e entendimento:

Bija-mantra (do sânscrito): “Núcleo vibratório de um mantra”; “Mantra-semente”; “Senha vibratória para evocação de uma determinada freqüência espiritual”.

(Kundalini (do sânscrito): “Enroscada”; “Fogo Serpentino”) é a energia que entra no campo energético por intermédio do chakra Raiz ou Básico. É também chamada genericamente aqui no Ocidente de energia telúrica (energia da terra) ou geo energia. Contudo, essa definição ocidental é muito pobre. Os orientais, notadamente os hindus, tibetanos e chineses antigos (taoístas), aprofundaram-se bastante no estudo dessa energia. Ela também é chamada pelos iogues de “Shakti” (do sânscrito): a força divina aninhada na base da coluna (chakra Raiz ou Básico). O despertar da kundalini é um processo puramente espiritual e energético em essência. Envolve a ativação dos chakras, para a subida da energia kundalini através deles.


D
iagnóstico dos Chakras

Existem várias maneiras de definir como está o estado de cada chakra, sempre levando em consideração que os chakras que regem os Centros Mentais são os chakras Coronal, Frontal e seu correspondente na parte posterior da cabeça. Os Centros do Sentimento: chakras Laríngeo, Cardíaco, Plexo Solar e Genésico. Os Centros da Vontade: chakras da Base do Pescoço (7ª vértebra), equivalente ao chakra Laríngeo, o equivalente ao chakra Cardíaco, nas costas, o equivalente ao chakra do Plexo Solar nas costas, o equivalente ao chakra Genésico nas costas e o Chakra Raiz ou Básico que é independente e tem sua característica e está ligado diretamente ao chakra Coronal.

A melhor maneira de perceber o estado de um chakra é através de um pêndulo, à parte de uma exclusiva sensibilidade nas mãos ou a utilização da Percepção Extra Sensorial.

O pêndulo é apenas um peso na ponta de uma linha. O processo de utilização do mesmo é através das ondas radiestésicas, que conectam os cérebros do analista e do analisado através do aspecto subconsciente dos dois. Do subconsciente são passadas pequenas informações ao consciente do analista que reflete em pequenas vibrações em seu braço e mão. Conforme a convenção mental do analista, faz mover o pêndulo, demonstrando as propriedades chákricas naquele momento. Radiestesia, simplificando, é sensibilidade às radiações a tudo que existe na forma e a radiação humana também é uma energia de forma.

Apesar de um pêndulo se constituir em um pequeno peso na ponta de um fio, os pêndulos mais adequados são os usados por aqueles que praticam a radiestesia. Observe-se que a radiestesia não se trata de um dom e sim de muita paciência e prática e, principalmente total isenção de idéias preconcebidas a respeito do vai se analisar.

Para aqueles que querem praticar a radiestesia, usando-a com arma de diagnóstico da energia (radiação) humana, o melhor modelo seria o pêndulo em forma de pêra, de madeira, com cerca de 2,5 cm de diâmetro e 3,8 cm de comprimento, com ou sem chumbo (peso) em seu interior e seu peso não seja superior a 22 gramas.

 

Fonte: Usui Shiki Ryoho – Sistema Usui de Cura Natural – Swami Paatra Shankara

Segue um vídeo demonstrando o uso do pêndulo como indicador do estado dos Chakras


 

O que achou deste artigo? Deixe a sua opinião aqui.