O ser humano e a energia cósmica

Existe a Energia Fundamental (Vital) Universal que a tudo interpenetra e relaciona, sendo dela que tudo depende na criação, seja ser vivo animado ou ser vivo inanimado. Através dessa energia é que se manifesta a inteligência cósmica na natureza. O homem, parte integrante da criação, depende também dessa energia que garante a sua saúde, equilíbrio, harmonia e evolução.

Culturas antigas já tinham o perfeito conhecimento de que a saúde depende da correta recepção, circulação e manutenção dessa energia. Estudos atuais sobre mandaIas (utilizadas pelos indianos e que eram consideradas amuletos antigos dos egípcios) demonstram o profundo conhecimento que os antigos possuíam sobre os campos de energia áurica, bem como dos métodos de manipulação e de seus efeitos. No livro dos mortos egípcios, faz-se referência à fabricação de certos amuletos, bem como de sua forma mágica que eram colocados sobre a cabeça das múmias com a finalidade de reter a forca vital.

Já o livro dos mortos tibetanos (Bardo Todal Budista), faz referência a um ponto de recepção e transmissão energética, localizado na junção sagital (abertura para os nervos), que penetra no crânio, na coroa da cabeça.

Tansley interpretou que o fluxo de energia é outro fator importante a considerar. Não basta somente aplicar energia no chakra; é preciso saber também se ela flui para a glândula endócrina correta e daí para os sistemas de órgãos governados pelo chakra em questão, como também se ela circula através dos veículos.

Existe um grupo da terapia radiônica que afirma que chakra coronário não deve ser tratado. Esta concepção não se faz fundamentada. A idéia deve ter surgido a partir do entendimento de ser o chakra coronário o centro, a partir do qual o ser espiritual interior governa o eu inferior. Todavia, isso jamais se constituiria em um obstáculo que impossibilitaria o tratamento. A imposição das mãos ou mesmo o ato de abençoar uma pessoa envolve ambos, posto que se executado corretamente, se dá a passagem das energias superiores, invocadas através do centro da cabeça (chakra coronal). É através desse chakra que se dá a entrada ideal da energia cósmica e pode despertar a vontade espiritual de qualquer indivíduo.

Ligado a glândula pineal, temos o centro psíquico superior, que para muitos é a sede da alma ou terceira visão. No entender de muitos, nos dias atuais, ela coloca nossa consciência finita em contato com a consciência infinita do Cosmos, que se manifesta nos milagres da natureza bem como nas funções do nosso corpo (microcosmo), que nao controlamos conscientemente, tal como a respiração, a digestão, a autocura, etc. A ver de muitos, talvez seja mais importante sua influência nas funções psíquicas, bem como o equilíbrio psicológico do ser humano.

Todavia, é bom saber que, mesmo quando o homem estiver em perfeito equilíbrio energético, ainda assim poderão surgir doenças ou mesmo desequilíbrios psíquicos ou psicológicos advindos de hábitos incorretos, seja de conduta ou pensamento, ou mesmo até como conseqüência das energias externas que o atinge, sejam elas oriundas de qualquer fonte.

David V. Tansley, no seu livro “Dimensões da Radiônica”, ilustra o princípio acima citado quando explica que às vezes existe uma causa para muitas manifestações físicas de doenças, sendo que na maioria das vezes, ela se encontra no aspecto psíquico ou psicológico na mente da pessoa.

Hoje temos inúmeras publicações onde se observam os sintomas ou, o que pensamos, onde em contrapartida se destaca a relação de pensamentos para nosso estado imunológico. A autora Louise Hay, em seus vários livros, nos propõe pensamentos corretos para um equilíbrio perfeito, bem como para um corpo saudável.

O sistema interligado: tampouco a psiconeuroimunologia tem respostas claras. Mas o que ela postula nos últimos anos é fascinante, pois reza que qualquer coisa acontecendo no cérebro é observada pelo sistema imunológico. Se é estresse ou desespero, bem-estar e felicidade, as células imunes sabem e, dependendo do caso, sua ação é diminuída ou aumentada. Os mensageiros da informação para o cérebro/sistema imunológico trabalham com substâncias pequeninas; os neurotransmissores e os peptídeos. Até o momento foram descobertos mais ou menos 70 deles, porém existe a probabilidade de existirem algumas centenas. Eles são produzidos pelo cérebro e se instalam em determinados lugares, chamados receptores, na superfície das células imunes.

O cérebro de uma pessoa depressiva libera grande quantidade dessas substâncias transmissoras, que por sua vez também deprimem as células imunes. O principio é muito simples: nosso sistema imunológico é feliz quando estamos felizes e, triste quando estamos tristes. O programa contido na cabeça se projeta em nosso estado de saúde.

O cérebro ouve tudo que acontece no sistema imunológico. Mas como sabemos hoje, as células cerebrais e os glóbulos brancos falam a mesma língua molecular e sabem tudo uns sobre os outros. Porque a criação das substâncias transmissoras não é monopólio do cérebro: o sistema imunológico também é capaz de produzir hormônios de estresse e liberando até a endorfina, analgésico próprio do corpo. Do mesmo modo, dos intestinos, estômago ou rins são liberadas substâncias transmissoras que influenciam nossas emoções e pensamentos. Literalmente, emoção tem pouco a ver com a cabeça, e mais com a barriga.

Aquela totalidade tão freqüentemente postulada já assume agora formas concretas. Através dos neurotransmissores e dos peptídeos, tudo é ligado a tudo. As conseqüências dessa descoberta são revolucionárias. Um corpo capaz de influenciar o cérebro, cuja atividade pode ser observada por cada célula – esta fantástica rede psicossomática – não tem mais muito a ver com o organismo tratado pela medicina ortodoxa. A divisão em sistema nervoso, imunológico digestivo, hormonal, em todo caso, vale apenas parcialmente. Até Candice Perth, uma hiperortodoxa bióloga molecular muito conhecida nos Estados Unidos, já fala em corpo-mente. Também por aqui as paredes estão desmoronando…

Mas o cavalo tem um cavaleiro. Como a consciência interfere nesse processo? Como começar aquela reação em cadeia psiconeuroimunológica?

Como o cérebro traduz nossos pensamentos e emoções num padrão de neurotransmissores e peptídeos? A resposta ainda é a de sempre: não sabemos. Porém estamos mais próximos de descobrir o segredo.

O mais fascinante das substâncias transmissoras moleculares é que elas são flexíveis e diferenciadas o bastante para projetar imediatamente processos mentais no nível físico. São os mensageiros sutis do corpo, agindo nas fronteiras entre os mundos.

A contribuição da ciência atual, com suas pesquisas na área da física quântica, lança luzes de inestimável valor, tanto que confirma cada vez mais a validade do conhecimento das civilizações milenares, que a sua época já manipulavam as energias que muitos apresentam como novas descobertas.

Analisando alguns dos desequilíbrios mais comuns nos dias atuais, a tensão nervosa, bem como suas conseqüências, notamos que a pessoa nervosa não tem paz nem tranqüilidade mental, pois está constantemente em tensão física, logo não consegue soltar seu corpo e tampouco relaxar. Suas energias se consomem pela manutenção dos nervos tensos. Portanto, seu estado mental é agitado, permanecendo em estado constante de alerta, liberando adrenalina no seu sangue e veneno psíquico na sua aura que se desarmoniza, afastando a pessoa da freqüência da força vital ou energia cósmica.

Até sua coloração muda podendo a partir daí ser observada a cor correspondente ao seu estado de desequilíbrio, inclusive tornando esta pessoa desagradável, uma vez que polui, com sua aura, o ambiente que a circunda.

As pessoas sensitivas e esclarecidas no assunto percebem conscientemente, ou mesmo inconscientemente, por pessoas que não entendem o assunto, pois sentem aquela sensação desagradável quando estão na presença de pessoas desequilibradas e, muitas vezes tornam-se vítimas de sua influência.

Não se pode deixar de reconhecer o extraordinário conhecimento que os povos antigos possuíam. Além de conhecer a importância da recepção energética correta, sabiam ainda manipulá-la para preservar o equilíbrio físico e psicológico através do estado de harmonia com as energias superiores e, como resultado, o sistema imunológico e o corpo físico.

A partir da primeira respiração, o ser recebe a energia que penetra pelo seu centro psíquico superior, desta forma se individuação do ser com a freqüência da energia cósmica do momento.

 

Fonte: Usui Shiki Ryoho – Sistema Usui de Cura Natural – Swami Paatra Shankara

 

O que achou deste artigo?

O que achou deste artigo? Deixe a sua opinião aqui.